Blogue

Efemérides de 2022 - Há 40 anos Herlander Machado criava o “Jornal de Castanheira de Pera”, vindo a falecer 10 anos depois

Efemérides de 2022 - Há 40 anos Herlander Machado criava o “Jornal de Castanheira de Pera”, vindo a falecer 10 anos depois

Em 1982 Herlander Alves Machado funda o Jornal de Castanheira de Pera, mensário regionalista independente, que dirigiu desde esse ano até Março de 1985. O primeiro número iria sair para as bancas a 31 de Outubro desse ano de 1982. Após Março de 1985 o Jornal de Castanheira de Pera viria afundir-se com o Castanheirense, suspendendo a sua publicação.

Segundo Kalidás Barreto, uma das razões da sua génese esteve no facto do Castanheirense não estar a sair com periodicidade regular.

 10 anos depois, a 08 de junho de 1992, Herlander Machado viria a falecer.

Nascido em Lisboa a 4 de junho de 1927, Herlander Alves Machado era filho de José Do­mingos Machado e Laura Alves Machado, ambos naturais do Coentral.

Historiador, escritor, poeta, dramaturgo, encenador, jornalis­ta, conferencista, etnógrafo e defensor dos valores regionalistas.

Entre as várias realizações por si lideradas contam-se:

 A acção na defesa dos direitos do povo do Coentral, da valorização da sua história, das suas caracte­rísticas e valências geográficas, bem como dos usos, costumes e tradições das suas gentes, o que o levou a impulsionar e encabeçar a publicação de duas revistas nos anos de 1956 e 1957, sob o título “Coentral – Terra de Encantos”, versando temas sobre as aldeias serranas que compunham esta antiga fre­guesia;

  • A criação do Rancho Folclórico Neveiros do Coentral, em 1964, cuja estreia viria a ocorrer no dia 11 de julho daquele ano, no âmbito das Comemorações do Cinquentenário da Criação do concelho de Castanheira de Pera;
  • A construção da escadaria da Igreja matriz do Coentral, promovendo a realização de uma subscrição pública que iria permitir angariar as verbas necessárias à edificação desta infraestrutura, iniciada no ano de 1968, sob a coordenação da Junta de Freguesia de então, e concluída no ano de 1970;
  • A publicação, entre outros, dos livros O Velho Pastor e Eu - A Floresta e a Pastorícia (1961) e Terra de Encantos – Coentral, Factos e Contos da Tradição Oral da Serra da Lousã-Coentral (1991).

 Esta é apenas uma curta resenha deste etnógrafo e regionalista coentralense. Mais informação pode ser encontrada em:

 

Livro “COENTRAL-História, usos, costumes e tradições”, pag.s 95, 97 e 257 a 260;

Revista “CADERNOS Leirienses – 2.ª Série, N.º 1, Estudos de Etnografia e Património-Julho 2020”, pag.s 199 a 204.

Image

Este e outros temas são abordados no livro Coentral – História, Usos, Costumes e Tradições.

Para adquirir um exemplar do livro, contacte-nos.

Promotores da iniciativa

cirucrf-neveiros-coentral