Blogue

As ribeiras responsáveis pelo desenvolvimento industrial do concelho de Castanheira de Pera

As ribeiras responsáveis pelo desenvolvimento industrial do concelho de Castanheira de Pera

As Ribeira do Coentral Grande, Ribeira das Quelhas e Ribeira de Cavalete nascem no Coentral e juntam-se para originar a Ribeira de Pera que percorre o concelho de Castanheira de Pera, de norte a sul.

A Ribeira de Pera não serviu apenas para fazer movimentar as mós dos moinhos, ela foi utilizada também para fazer mover as rodas dos lagares de azeite, de que em boa hora se preservou um exemplar, museologicamente recuperado, no nosso concelho – o Lagar do Corga. E não fica por aqui essa utilização.

No nosso concelho, a força das águas desta ribeira foi usada, como primeira forma de energia, para fazer mover as máquinas de tecelagem e assim possibilitar a instalação de várias unidades industriais, a partir de meados do século XIX. Esta crescente industrialização tornou Castanheira de Pera no terceiro centro mais importante da indústria têxtil nacional, na década 80 daquele século, com 11 unidades fabris em laboração: Bolo, Várzea (Torgal), Safrujo, Pereiros, Esconhais, Retorta, Foz do Fontão, Abelheira de Baixo, Abelheira de Cima, Abelheira e Rapos.

Em 1881 só a Covilhã e a Guarda possuíam mais unidades fabris do que Castanheira de Pera, que era responsável por 12% da produção nacional deste ramo industrial e no qual empregava cerca de 1000 operários, no conjunto das referidas unidades fabris, segundo dados recolhidos no Inquérito Industrial desse ano.

Image

Este e outros temas são abordados no livro Coentral – História, Usos, Costumes e Tradições.

Para adquirir um exemplar do livro, contacte-nos.

Promotores da iniciativa

cirucrf-neveiros-coentral